ADEH - Associação em Defesa dos Direitos Humanos

ADEH - Associação em Defesa dos Direitos Humanos


A ADEH é uma instituição de acolhimento as vítimas de violências LGBTs e agressões contra as mulheres em Florianópolis.

Experiência na Rede Somar: Iniciante

Oportunidades


Nenhuma oportunidade cadastrada

Sobre


A ADEH é uma instituição de acolhimento a vítimas de violências LGBTs e de mulheres CIS em Florianópolis que atua a mais de 27 anos no município de Florianópolis. Atendemos em torno de 70 casos por mês de violências. Trabalhamos com as questões de gêneros e sexualidades, assim como saúde, fomentação de lies e políticas públicas, assistência social e atendimento jurídico. Atendimento Psicológico gratuito a toda a população. Atendimento Jurídico gratuito a toda a população. Atendimento Social gratuito a toda a população. Rodas de conversas com familiares LGBTs. Rodas de conversa sobre saúde, empregabilidade, auto estima e sexualidades. Cine Debates Acolhimentos de Jovens Expulsos de casa. Espaço solidário de acolhimento social. Grupo de Teatro. Coral Transfônico Dentre outras atividades. A ADEH – Associação em Defesa dos Direitos Humanos com Enfoque na Sexualidade é uma Organização Não-Governamental que atua no sentido da garantia de direitos, da promoção de saúde e da discussão no campo dos Direitos Humanos e das políticas para a população. Disponibilizamos auxilio psicológicos, jurídicos e sociais gratuitamente, oriundos de parcerias mantidas pela instituição para a população TLBG (Travestis, Transexuais, Lésbicas, Bissexuais e Gays), para profissionais do sexo (homens e mulheres) e também acolhemos mulheres vitimas de violência, atendendo mais de setenta casos mensalmente. Desde 2006, está em funcionamento o Centro de Referência em Direitos Humanos de Florianópolis, voltado ao acolhimento e acompanhamento de pessoas em situação de discriminação e de violência de gênero. A instituição tornou-se referência local, regional e estadual não só para a população TLGB, mas também para outros segmentos populacionais, tais como mulheres profissionais do sexo e mulheres vítimas de violência. Um dos resultados de sua parceria com o núcleo Parceria com MARGENS/UFSC é o atendimento à saúde integral dessas pessoas na UBS da Lagoa da Conceição, em Florianópolis, atendimento esse que inclui a hormonioterapia. Hoje somos a única instituição que recebe as denúncias do disque 100 do estado de Santa Catarina. Venho por meio deste solicitar que seja avaliada a situação atual da ADEH, que se encontra sem amparo nem do Estado e nem do município. A ADEH vem a muito tempo se mantendo com recursos dos próprios integrantes, sem nenhum auxilio por parte desses órgãos, seja financeiro ou de qualquer outra forma. E Mesmo com essa situação a ADEH continua resistindo e realizando suas atividades, atendendo a população e acolhendo suas demandas, afinal não irão parar de ocorrer violências, preconceitos, mortes, passeatas, reuniões, eventos, seminários, capacitações, prestações de conta, andamento de projetos, apoio ou repudia a leis implantadas, mesmo com a ONG sem recursos financeiros. A ADEH sabe da suma importância de suas atividades, e consegue mantê-las ocorrendo com o esforço conjunto do grupo de voluntários da ONG. Além do que já foi dito a ADEH conta com diversos projetos, como o de economia solidária e realiza eventos como palestras, e ações de conscientização e empoderamento, e também eventos beneficentes com intuito de arrecadação de recursos para manter suas atividades. Nós compreendemos que a grande dificuldade de conseguirmos recursos para nos manter é o público alvo que atendemos, pois ainda estamos as margens da sociedade e dos direitos sociais. Dentre as diversas atividades que desenvolvemos, cito algumas. Segundas TransTornadas: Projeto realizado na sede da ADEH, todas as segundas-feiras às 19 horas. Cine D: é uma iniciativa da ADEH - Associação em Defesa dos Direitos Humanos com enfoque na Sexualidade que funciona desde o ano de 2013 exibindo filmes com temáticas relativas aos direitos humanos e LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais). Projeto de pesquisa e intervenção - Parceria: Secretaria dos Direitos Humanos, Presidência da República, Núcleo Margens – Modos de Vida, Família e Relações de Gênero da UFSC. Com a finalidade da busca pelo mapeamento das características sócio-demográficas da população LGBT de Santa Catarina, buscando também a identificação das principais vulnerabilidades e situações de violência as quais está sujeita. Foram realizadas ainda capacitações de técnicos e gestores das Secretarias de Saúde, Educação, Assistência Social, Segurança Pública, Turismo, Cultura e Esporte, para o trabalho com a população LGBT. O projeto teve como foco a população de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT) no município de Florianópolis. A proposta foi identificar e discutir o cenário atual de violências que perpassam a vida das pessoas LGBT na cidade através do levantamento do perfil psicossocial desta população e da sensibilização dos/das gestores e gestoras das políticas públicas das áreas da Saúde, Educação, Segurança Pública e Assistência Social para a necessidade de políticas de equidade que enfrentem de forma eficaz e consistente as discriminações e desigualdades vinculadas a essa população. Nessa direção, capacitações foram oferecidas aos/às profissionais das quatro secretarias. A partir (e durante a) da pesquisa também foi incentivada a organização da população LGBT diante da identificação da emergência de uma organização social que qualifique a interlocução entre esta população e as instituições públicas. Força Tarefa para a retificação de nome: A ADEH está organizando uma força tarefa com o intuito de possibilitar o ingresso ao Judiciário daquelxs interessadxs na alteração de nome civil. Para isso, além de já contar com o setor jurídico preparado para a demanda, conta com uma equipe técnica para lançar informativos gerais, esclarecer dúvidas, divulgar andamentos ou formar apoio a essa demanda. A força tarefa é totalmente aberta. Aqueles que se sentem tocados por essa questão podem se integrar às atividades da força. Projeto Fique melhor sabendo: Projeto de testagem de HIV a partir de uma nova tecnologia de testagem a partir do fluido oral. ADEH TV: O projeto consiste em um trabalho voltado a comunicação da ADEH que visa divulgar temas relativos às questões de gênero, sexualidades e direitos humanos em geral, a partir de programas de produção independente.Estamos trabalhando para sempre divulgar novos vídeos no nosso canal, de forma que todas e todos possam ter cada vez mais acesso a informações que acreditamos ser úteis para a comunidade em geral. Café da Tarde na ADEH: Um projeto para reunir homens e mulheres trans, travestis, transexuais, trans não binários, homens e mulheres profissionais do sexo, para um bate papo gostoso e descontraído com a finalidade de estreitar laços com a nossa comunidade, fortalecer nossas redes, trocar experiências e mapear as dificuldades de acesso aos nossos direitos. T-ADEH: é um grupo no WhatsApp criado pela ADEH que tem como finalidade proporcionar encontros, contatos, trocas de experiências, esclarecimentos de dúvidas e divulgação de informações importantes às pessoas Trans (homens e mulheres Trans e pessoas Trans-não-binári@s). O grupo também pode ser um espaço para que todas as pessoas Trans possam ampliar suas redes de amizade e de apoio. Oficinas de Expressões Artísticas: acontecem na sede da ADEH todas as quintas-feiras, a partir das 14h. Se você quiser participar, não é necessário ter experiência com arte, pintura ou desenho! Encaminhamento para a hormônioterapia: Parceria com alguns profissionais da área da saúde atuante no SUS, fazemos o cadastro via ADEH e encaminhamos para as unidades de atendimento cm a garantia de atendimento. A ADEH oferece atendimento gratuito na área de serviço social nas segundas e quartas-feiras das 14h às 18h. O atendimento social tem como objetivo assessorar as pessoas e viabilizar interesses, necessidades e direitos sociais, através de orientações e encaminhamentos para a rede de serviços socioassistenciais. Estagiários do Serviço Social: A ADEH disponibiliza de vagas de estagio para estudantes do Serviço Social e psicologia com parceria com a UFSC, UDESC, UNIVALE, Estácio e UNINTER. Economia Solidária: A ADEH está desenvolvendo projetos e acolhendo ideias a serem implementadas na área de economia solidária. Os nossos projetos na área da Economia Solidária têm por finalidade produzir atividades que gerem renda e trabalho a partir de uma perspectiva colaborativa, solidária, participativa, auto-gestora e co-gestora. Procuramos desenvolver atividades que gerem renda, sobretudo para a população Trans, que está frequentemente excluída de espaços como a escola e o mercado formal de trabalho, impossibilitando que essas pessoas (travestis e transexuais) possam ter condições materiais mínimas para uma vida digna. Estamos desenvolvendo e aprimorando essa nova ideia em nossa associação, objetivando a criação de novos empreendimentos econômicos solidários que possam fortalecer e melhorar as condições sociais e humanas das pessoas trans de nossa comunidade. Roda de conversa com familiares de pessoas LGBT ‘s: ADEH convida para um momento de roda de conversa para familiares de pessoas LGBT’s. A ideia que surgiu no primeiro momento foi se tornar um encontro quinzenal nas quartas-feiras para que pudesse contemplar a todes. Horário: 18h30 OcupaAdeh: Frequentar espaços públicos que enalteçam a cultura, educação e a arte de todas as formas. Entrada cortesia da ADEH, somente para a população Trans, mulheres Travestis e Trans não-binárixs. Eventos a combinar. Dia da Visibilidade Trans: Neste dia reunimos os voluntários, organizados pelo núcleo MARGENS que é um núcleo de pesquisa e estudos de psicologia da UFSC, para a elaboração de cartazes e mobilização das pessoas para expor esses cartazes em praça pública, com o objetivo de desconstruir conceitos sociais e combater o preconceitos, buscando fazer com que as pessoas trabalhassem com a sua sensação de desconforto ao se deparar com o inusitado, bem como buscamos fazer com que as pessoas enfrentassem seu preconceito, sendo isso uma algo que geralmente as pessoas somente empurram para debaixo do tapete. Projeto Economia Solidária: O projeto de Economia Solidaria é uma parceria de duas instituições distintas a ADEH e a Desdobrando Arte Ateliê, este projeto busca incentivar os artistas a trabalharem com sua arte, também buscamos dar opções de trabalho à população transexual, pois o mercado de trabalho não as absorve por conta do preconceito. São produzidos e comercializados diversos produtos bem como canecas, bottons, mousepads, camisetas, diversos tipos de costuras e entre outras cosias. Bloco Vexame: Essa parceria com a Gandaia Cultural tinha o objetivo de arrecadar fundos para a instituição, mas, principalmente de prevenir as pessoas quanto as ISTs (Infecções Sexualmente Transmissiveis) seus perigos e seu modo de prevenção. A ADEH também auxiliou com a captação de imagens tanto filmagens quanto fotografias, auxiliou na produção de kits sendo este um conjunto de caneca, camiseta e mascara carnavalesca, também contendo informativos sobre ISTs e preservativos feminino e masculino. Parada da Diversidade Florianópolis: A Adeh faz parte da equipe de construção da Parada desde o ano de 2017. Festival de Cinema Região Sul - Transforma: A ADEH desenvolveu um projeto em que consiste selecionar curtas com temáticas LGBTs para serem votados como os melhores da região Sul. Coral Transfônico da ADEH: Coral empoderador com o protagonismo de pessoas trans, os ensaios acontecem toda a terça feira a partir das 18 horas. Breaxó da ADEH: Brechó com a finalidade de arrecadar fundos e reverter uma parcela dos rendimentos a população trans que participarem das atividades das vendas e organização do mesmo. Confecção de Bandeiras LGBT e Trans: Produzido por pessoas trans, as bandeiras LGBT e Trans revertem fundos para a instituição e para a equipe que desenvolve esse projeto. Vendas de Calcinhas específicas para a população Trans Produzido por pessoas trans, revertem fundos para a instituição e para a equipe que desenvolve esse projeto. Venda de Blinder para os meninos trans: Produzido por pessoas trans, revertem fundos para a instituição e para a equipe que desenvolve esse projeto. Fora as diversas atividades pontuais, ainda estamos ligados diretamente as atividades em parceria com o município e o Estado que reconhece o nosso serviço, mas não colabora como gostaríamos. Todos os anos a ADEH recebe diversos prêmios da câmara de vereadores ou da ALESC, mas nenhuma ajuda financeira acaba chegando até nós. Sempre acabamos nos virando com o pouco que temos, fazendo vakinhas para pagar as contas, ou contando com a ajuda de usuários que colaboram com o pouco que tem. Nenhum profissional que atua na ADEH recebe pelos seus serviços prestados.


Horários de funcionamento


Segunda 14:00 / 18:00
Terça 14:00 / 18:00
Quarta 14:00 / 18:00
Quinta 14:00 / 18:00
Sexta /
Sabado /
Domingo /

Participe


Seja um voluntário. Utilize o formulário abaixo para participar das nossas ações sociais!

Selecione uma oportunidade

Área de interesse


Donativos


Nenhuma campanha de arrecação cadastrada

Deixe o seu comentário